Capa » Cemaden » Situação Atual e Projeção Hidrológica para o reservatório de Serra da Mesa – Bacia do rio Tocantins – 18/10/2021 Ano 2 Nº 18

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o reservatório de Serra da Mesa – Bacia do rio Tocantins – 18/10/2021 Ano 2 Nº 18

Esta do boletim traz um resumo da situação referente à atual estação seca (2021), assim como detalhes do monitoramento para o mês de setembro de 2021 e projeções hidrológicas de outubro de 2021 até final de abril de 2022. Em setembro de 2021 (até dia 26), foram registrados 6 mm de precipitação nesta bacia, a média histórica para este mês corresponde a 41 mm. A vazão nesta bacia hidrográfica foi 93 m³/s, valor que representa 50% da média histórica do mês. O reservatório de Serra da Mesa operou, em 26 de setembro de 2021, com 24% de seu volume útil, situação pior quando comparada ao mesmo período do ano passado (33%). A partir das previsões meteorológicas e hidrológicas e da operação regulada pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, prevê-se que o volume armazenado no reservatório poderá atingir 33% de seu volume útil no final de abril de 2022, considerando um cenário hipotético de chuvas na média histórica para este período, e defluência conforme divulgado pela ANA/CEMIG/ONS).

Situação atual de Serra da Mesa

A precipitação acumulada durante os meses da atual estação seca, 01 de maio a 26 de setembro de 2021, baseado nas redes pluviométricas que cobrem a bacia de captação da UHE Serra da Mesa (8 pluviômetros do INMET e 7 pluviômetros da ANA), foi 24 mm, 22% da média histórica da estação seca, compreendido entre o período de maio a setembro (109 mm; 1983 – 2020). Isso corresponde a um déficit pluviométrico, para a estação seca de 2021, de aproximadamente 78% em relação à média histórica. Em setembro de 2021, foram registrados 6 mm de precipitação nesta bacia, a média histórica para este mês corresponde a 41 mm (Figura 1).

Figura 1. Precipitação mensal na bacia hidrográfica Serra da Mesa (ano hidrológico: outubro-setembro).

A média de vazão natural[1] do aproveitamento Hidrelétrico Serra da Mesa durante os meses secos de 01 de maio a 28 de setembro 2021, de acordo com os dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), foi 200 m3/s, o que equivale 66% da média histórica da estação seca (304 m³/s). Em setembro de 2021, a vazão natural foi aproximadamente 93 m³/s, correspondente a 50% da média histórica do mês (185 m³/s), valor menor que a mínima histórica para este mês (1983-2020), ocorrido no ano de 2016 (94 m3/s). Ainda segundo o ONS, a média de vazão defluente para setembro foi 683 m3/s. O reservatório de Serra da Mesa operou no dia 26 de setembro de 2021 com 24% do volume útil, situação pior quando comparado ao mesmo período de 2020 (32%).

[1] Vazão que existiria caso não houvesse interferência humana.

Previsão de chuva para os próximos dias

A bacia de captação do reservatório Serra da Mesa ainda se encontra ainda dentro do período seco. Assim, as previsões baseadas no modelo GENS/NOAA (50×50 km) indicam praticamente a ausência de chuva nos próximos 10 dias (Figura 2, esquerda). A tendência para a segunda semana (Figura 3), também aponta a ocorrência de precipitações muito escassas ou, ainda, ausência de precipitação em função da época do ano.

Figura 2. Previsão de precipitação acumulada em milímetros (mm) nos próximos 3 (esquerda) e 10 (direita) dias para a bacia de captação Serra da Mesa (linha marrom espessa), segundo a previsão do modelo numérico GENS/NOAA.

 

Figura 3. Previsão de precipitação em milímetros (mm) acumulados (esquerda) e sua respectiva anomalia em relação aos valores climatológicos (direita) para a segunda semana de acordo com o modelo numérico americano GFS/NCEP/NOAA.

Projeção de vazão para os próximos meses

Figura 4 apresenta as vazões médias mensais observadas e, na sequência, projeções de vazão usando a média dos membros de previsão de precipitação para o período 27 de setembro a 06 de outubro de 2021 e, a partir do dia 07 de outubro foram considerados quatro cenários de precipitação: média histórica, 25% acima e 25% abaixo da média histórica (1983-2020) e um cenário de precipitação crítica, que corresponde ao período mais crítico do histórico (2015).

As simulações indicam que, considerando um cenário hipotético de chuva na média histórica, a vazão na bacia, para o período de outubro de 2021 a abril de 2022, poderá alcançar 814 m³/s, valor equivalente à 89% da média histórica desse período (914 m³/s). Em contrapartida, para este mesmo período, levando em consideração um cenário de precipitações 25% abaixo da média, as simulações apontam uma vazão em torno 51% (470 m³/s) da média histórica. É importante ressaltar que as vazões projetadas pelo modelo hidrológico PDM/CEMADEN, para os diferentes cenários, podem estar superestimadas para o período de transição entre as estações seca e chuvosa.

Figura 4. Histórico (linhas contínuas) e simulação (linhas tracejadas) de vazão natural média mensal (em m³/s) para o aproveitamento hidrelétrico de Serra da Mesa considerando a previsão e quatro cenários de precipitação: 25% abaixo da média histórica (azul claro), na média histórica (cinza), 25% acima da média histórica (azul escuro) e precipitação crítica (linha laranja). As linhas contínuas representam as vazões observadas, de acordo com o ONS, para o período 1983-2020: médias mensais (preta); mínimas mensais (marrom); série de maio de 2020 a abril de 2021 (magenta) e série de 01 de maio a 26 de setembro de 2021 (roxa).

 

Projeção do armazenamento para os próximos meses

Nas Figura 5 apresentam-se as projeções do volume armazenado no reservatório Serra da Mesa utilizando a previsão (média dos membros) e as projeções de vazão . Estas simulações consideram uma defluência média de 900 m3/s para os meses entre outubro a novembro de 2021, conforme divulgado pela ANA/ONS na 9ª reunião em 2021 da sala de crise do rio Tocantins[2]. Para simular o reservatório durante o período de dezembro de 2021 a abril de 2022 foram utilizados os valores de defluências aplicados no mesmo período dos anos anteriores (dezembro de 2020 a abril de 2021): dezembro = 815 m3/s; janeiro = 466 m3/s; fevereiro = 315 m3/s; março = 138 m3/s e abril = 107 m3/s.

 Considerando um cenário de precipitação na média histórica, as projeções indicam que o volume armazenado no reservatório Serra da Mesa poderá chegar ao final de dezembro de 2021 com, aproximadamente 16%, e ao final do horizonte de projeção (abril de 2022) com aproximadamente 33% do seu volume útil (43.250 hm³), valor inferior ao volume útil armazenado no reservatório no mesmo período de 2021 (36%).

[2] https://www.youtube.com/watch?v=pPTro_v5Kko

Figura 5. Histórico (linhas contínuas) e simulação (linhas tracejadas) de armazenamento (em % da capacidade total, igual a 43250 hm³) do aproveitamento hidrelétrico de Serra da Mesa, considerando a política 1 de defluência e quatro cenários de precipitação para simulação a vazão afluente: 25% abaixo da média histórica (azul claro), na média histórica (cinza), 25% acima da média (azul escuro) e período crítico do histórico (linha laranja). As linhas sólidas magenta e roxa referem-se, respectivamente, ao volume armazenado observado no período de maio de 2020 a abril de 2021 e de 01 de maio a 26 de setembro de 2021.

FAÇA O DOWNLOAD DO RELATÓRIO NA INTEGRA

Confira também

MONITORAMENTO DE SECAS E IMPACTOS NO BRASIL – SETEMBRO/2021

A. ÍNDICE INTEGRADO DE SECA (IIS) PARA O BRASIL:  SETEMBRO/2021 Índice Integrado de Seca (IIS) …