Capa » Cemaden » SITUAÇÃO ATUAL E PROJEÇÃO HIDROLÓGICA PARA RESERVATÓRIO TRÊS MARIAS – 16/06/2021

SITUAÇÃO ATUAL E PROJEÇÃO HIDROLÓGICA PARA RESERVATÓRIO TRÊS MARIAS – 16/06/2021

O reservatório da usina hidrelétrica de Três Marias, localizado na porção alta da bacia do Rio São Francisco, atua como importante fonte de produção energética para o país, além de contribuir para as reservas hídricas dos reservatórios de  Sobradinho, Paulo Afonso e Xingó, maior complexo hidrelétrico do Nordeste, responsável por 95% da energia gerada na região. Essa bacia vinha, ao longo dos anos de 2014 a 2019, passando por uma grave crise hídrica, caracterizada pela redução significativa de sua vazão e, consequentemente, redução do nível de armazenamento no reservatório, além de outros problemas de conservação ambiental. Em função dos índices pluviométricos acima da média, observados na estação chuvosa de 2019-2020, aliado às medidas de regulação implementadas pela Agência Nacional de Águas (ANA), o reservatório atingiu, em abril de 2020, sua capacidade máxima de armazenamento (100% de seu volume útil), chegando à necessidade de verter água (defluência de água sem que seja aproveitada para geração de energia elétrica). Isso fez com que o Cemaden suspendesse a publicação mensal do relatório, cujo monitoramento e previsões realizados para este reservatório tem como finalidade alertar a possibilidade de escassez hídrica. No entanto, durante a estação chuvosa de 2020-2021 foi observado, novamente, índices pluviométricos deficitários. Esse fato, aliado a finalização da estação chuvosa um mês antes do previsto, fez com que as vazões bem como o nível do reservatório reduzissem significativamente. Em função dessa atual crise hídrica, o Cemaden está retornando à publicação dos relatórios para esta bacia.

Nos dois primeiros meses da estação seca de 2021 (abril e maio), a precipitação acumulada correspondeu ao valor de 7% da média histórica (abril a setembro) e no mês de maio de 2021 foram registrados apenas 10% em relação à média histórica na bacia (35 mm). Considerando tais fatores e aliado às medidas de regulação implementadas pela Agencia Nacional de Águas – ANA, o reservatório encontra-se com 66% do volume útil. Com relação às projeções, em um cenário de chuvas na média histórica para o período de junho a setembro, se projeta uma vazão afluente ao reservatório na ordem de 48% do valor histórico, aproximadamente, configurando dessa forma, uma situação pior em relação ao observado no mesmo período do ano de 2020 (86% do valor histórico).

Condições atuais 

A precipitação média espacial, acumulada durante a estação chuvosa, nos meses de outubro de 2020 a março de 2021, baseado nas redes pluviométricas que cobrem a bacia de captação do aproveitamento hidrelétrico de Três Marias (12 pluviômetros do INMET e 20 plA precipitação média espacial, acumulada durante os meses secos de abril e maio de 2021, baseado nas redes pluviométricas que cobrem a bacia de captação do aproveitamento hidrelétrico de Três Marias (12 pluviômetros do INMET e 20 pluviômetros do CEMADEN), foi de 13 mm, equivalente a 7% da média climatológica (1983-2020) para o período da estação seca, entre abril e setembro (185 mm). No mês de maio de 2021, a precipitação média registrada na bacia foi de apenas 4 mm, valor que representa 10% da média histórica para este período (35 mm).

A vazão natural[1] média do aproveitamento hidrelétrico de Três Marias possui um período de retardo, de aproximadamente 1 mês, em relação ao início das chuvas na bacia. Dessa forma, a vazão média na bacia, no período chuvoso de novembro de 2020 a abril de 2021, de acordo com os dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), foi de 581 m3/s, o que equivale a 59% da média histórica para o esse período (981 m3/s).  No mês de maio de 2021, a vazão natural média foi 183 m³/s, 45% da vazão histórica média mensal, considerando o período de 1983-2020 (409 m³/s). Ainda segundo o ONS, a vazão defluente média, para o mês de maio, foi de 401 m3/s. O reservatório de Três Marias operou no dia 31 de maio de 2021, com 66% do volume útil.

[1] Vazão que existiria caso não houvesse interferência humana.

Previsão de chuva para os próximos dias

Devido ao encerramento do período chuvoso na região de cabeceira do rio São Francisco, as previsões de chuva baseadas no modelo GENS/NOAA indicam a, praticamente, ausência de precipitação nos próximos 10 dias (Figura1).

Figura 1. Previsão de precipitação acumulada em milímetros (mm) nos próximos 3 (a) e 10 (b) dias para a bacia de captação do Aproveitamento Hidrelétrico Três Marias, segundo a previsão do modelo numérico GENS/NOAA. A área da bacia de captação do aproveitamento hidrelétrico de Três Marias é indicada na Figura com linha preta espessa.

Projeção de vazão e de volume armazenado para os próximos meses 

A Figura 2 apresenta, além das vazões médias mensais observadas, as projeções de vazão natural média mensal (em m³/s), obtidas a partir da previsão de precipitação para o período 07 a 16 de junho de 2021 e dos cenários de precipitação de 17 de junho a 30 de setembro de 2021. Para a obtenção das projeções da vazão natural média mensal foram considerados quatro diferentes cenários de precipitação: média histórica, 25% acima e abaixo da média e um cenário de precipitação igual ao ocorrido no período de junho a setembro de 1994 (série crítica de precipitação no período 1983-2020).

As simulações indicam que, considerando um cenário de chuva na média histórica, a vazão média no período entre junho e setembro de 2021 será de, aproximadamente, 112 m³/s, o que representa, em porcentagem, cerca de 48% da vazão média histórica desse período (235 m³/s). Esse valor é significativamente menor quando comparado a vazão média registrada neste mesmo período de 2020 (86%).

Figura 2. Histórico e simulação de vazão natural média mensal (em m³/s) para o aproveitamento Hidrelétrico de Três Marias (linhas tracejadas) considerando a previsão e quatro cenários de precipitação: 25% abaixo da média climatológica (azul claro); na média climatológica (cinza) e 25% acima da média climatológica (azul escuro); e precipitação igual ao ocorrido entre junho a setembro de 1994, representando período mais crítico da média histórica (laranja). As linhas espessas representam as vazões médias mensais observadas de acordo com o ONS: vazão média mensal para o período 1983-2020 (preto); vazão mínima média mensal para o período 1983-2020 (marrom); vazão média mensal de outubro de 2019 a setembro de 2020 (magenta); e vazão média mensal de outubro de 2020 ao dia 31 de maio de 2021 (roxo).

A Figura 3 exibe as projeções da evolução diária do volume armazenado no reservatório do Aproveitamento Hidrelétrico Três Marias usando a previsão e projeção de vazões, e considerando uma defluência média de, 400 m3/s e 450 m3/s  para os meses de junho e julho, respectivamente; e uma defluência média de 388 m3/s entre o período de agosto a setembro de 2021, conforme divulgado pela ANA/CEMIG/ONS. Nestas simulações de projeção de armazenamento foram incorporadas as captações outorgadas pela ANA[1] no reservatório Três Marias (em valores médios mensais), necessário para evitar que se atinja o limite máximo de armazenamento, quando seria obrigatório o repasse de toda a água recebida pelo reservatório, impactando as comunidades a jusante.

Segundo as projeções, no cenário de precipitação na média climatológica, o reservatório, estará em 30 de setembro de 2021 com, aproximadamente, 44% do volume útil (faixa de operação “Atenção”, valor menor quando comparado ao mesmo período de 2020 (67%). É importante salientar que esse valor pode sofrer variações de acordo com o cronograma de defluência do ONS.

[2] http://www2.ana.gov.br/Paginas/institucional/SobreaAna/uorgs/sof/geout.aspx#outorgasana

Figura 3. Histórico e simulação da evolução do armazenamento do aproveitamento hidrelétrico de Três Marias considerando a previsão e quatro cenários de precipitação: 25% abaixo da média (linha azul claro), na média climatológica (linha cinza), 25% acima da média (linha azul escuro) e série de precipitação crítica (2004) (linha laranja), considerando o volume útil (15.278 hm³) e uma defluência média respectivamente de: 400 m3/s (junho); 450 m3/s (julho) e 388 m3/s (agosto e setembro de 2021). As linhas sólidas representadas pelas cores roxa e magenta mostram, respectivamente, a evolução do armazenamento no período de 01 de outubro de 2020 a 31 de maio de 2021 e 01 de outubro de 2019 a 30 de setembro de 2020.

FAÇA O DOWNLOAD DO RELATÓRIO NA INTEGRA

Confira também

Situação Atual e Projeção Hidrológica para o reservatório de Serra da Mesa – Bacia do rio Tocantins – 18/10/2021 Ano 2 Nº 18

Esta do boletim traz um resumo da situação referente à atual estação seca (2021), assim …